sol em escorpião

algo me diz que eu deveria entender os porquês todos
e enumerá-los
que quando o negócio pega fogo
a gente tem que saber
que se tem que ter de novo,
se é pra repetir,
se é pra comer com dez talheres,
tem que entender.

mas não entendo não.

não entendi
desde o primeiro momento.
não entendi como você conseguiu
me comer com os olhos d’um jeito
que até lilly braun duvidaria.

nem consegui sacar
o que tava acontecendo pro corpo todo estremecer num ritmo só.

nem entendi,
nem tentei
o que era que tava acontecendo
com os pelos do meu corpo
que arrepiaram-se todos de uma só vez
e uniram-se os braços,
coxas
e costas
num açoite só de você.

não entendi o que a sua boca fez.

não entendi o poder da língua,
por mais que eu
tantas,
tanto,
tontas.

não entendi o que aconteceu
com o tempo
que não deixou a vontade passar
e com a energia eletrizante
que ainda caminha pelos meus poros
só de imaginar não entender nada disso de novo.

não entendi nada da primeira vez,
entendi menos coisas ainda da segunda
e cada vez que o seu corpo encosta no meu,
por descuido
vontade
apego
hábito
intenção,
me desentendo.

entendo menos você.

entendo menos vontade.

entendo menos.

entendi menos.

não me esforcei.

entreguei. deixei.

Autor: giovanna marques

percebo as coisas com atraso e escrevo tudo pontualmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s