a fantasia acabou

um dia você vai se dar conta de que a fantasia acabou. um dia você vai acordar e vai perceber que a realidade é dura e cruel e vai precisar fazer coisas que você não gostaria de fazer, você vai precisar sorrir pra pessoas pra quem você não gostaria de sorrir, você vai precisar ir pra lugares pra onde você não quer ir, você vai precisar engolir sapos e vários outros bichos ainda maiores, você vai precisar respirar fundo e a vida real é uma merda porque você vai ter rinite nesse dia e você não vai conseguir nem respirar direito. e a vida real é uma merda porque depois de tudo isso, depois desse monte de coisa que você preferiria morrer a ter que fazer você vai precisar fazer coisas que não são legais, mas não são imorais e muito menos poéticas; depois de tanto tempo gasto durante o dia pra fazer coisas que você não quer fazer, você vai precisar chegar em casa e fazer a janta, você vai precisar descascar alho e vai precisar lidar com o cheiro de alho na mão enquanto você pega as roupas sujas do cesto e coloca pra lavar aquele monte de roupa já meio gasta meio velha que você ainda usa porque não tem dinheiro ou vontade pra comprar novas, porque não faz sentido gastar dinheiro com isso, porque não faz sentido parecer mais bonito porque nesse dia, no dia que a fantasia tiver acabado, nesse dia você vai saber que é feio também e vai saber que não adianta você ter uma posição concorrida ou ser ouvido, não adianta nada disso porque você é irrelevante e você vai adoecer no dia que a fantasia acabar e você vai ser substituído naquele lugar onde apenas você poderia ir, outra pessoa irá e tudo ficará bem porque na vida real tudo fica bem no fim e isso não depende de você e nunca dependerá, porque no fim do dia, na vida real, o cheiro de alho não sai e os banheiros são sujos e você não é relevante e a vida é difícil e, sim, você vai precisar sorrir de novo de manhã e não, ninguém te ajuda. mas existem abraços apertados, cervejas geladas, mesas vazias esperando você sentar e contar uma história sobre um dia que você foi naquele show que você disse que iria e como foi incrível e como naquele dia o banheiro estava limpo e as cadeiras eram confortáveis e as calças jeans eram ideais e não apertavam a sua barriga inchada de tanto tomar cerveja e comer tranqueiras, você vai dar risada alto e um gole grande no copo de cerveja e pedir mais uma sorrindo porque hoje, nesse dia, hoje isso não é um sacrifício e aí você vai chegar em casa. e quando você chegar em casa você vai tirar os sapatos e tomar um banho e agradecer porque a fantasia voltou pra te lembrar que dá pra criá-la quando quiser você só precisa fechar os olhos e rir pra outras coisas, pras coisas certas, dar risada pras coisas boas e quem sabe quando a fantasia acabar de novo você vai poder ter alguém que te convença de que você é relevante e importante e que a sua vida importa pra alguém ou pra alguma coisa. é uma esperança. por via das dúvidas, sorria amanhã e não conte com ajuda. mas conte por aí que a fantasia pode ser inventada. quem sabe o que pode aparecer.

Autor: giovanna marques

percebo as coisas com atraso e escrevo tudo pontualmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s